quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Perdas e ganhos

Insaciável criatura insatisfeita
No afã de realizar-se,
desfez-se do conhecido,
cotidiano, previsível
Foi abrigar-se no que lhe faltava

Queixosa criatura frustrada
No afã de realizar-se
no inesperado
Perdeu o que lhe sobrava



Link para essa postagem


sexta-feira, 3 de julho de 2015

Transitório

        O medo, o deleite, a angústia e a euforia são passageiros. A gratidão é para sempre.


Link para essa postagem


sábado, 27 de junho de 2015

Vira-lata solidária

Clique aqui


Link para essa postagem


segunda-feira, 22 de junho de 2015

De passagem

        Tenho passado por mim sem me ler, por isso não me tenho escrito.


Link para essa postagem


quarta-feira, 17 de junho de 2015

Felicidade

        "Todas as medições já feitas de felicidade dizem que você não é mais feliz porque é rico, ou porque é magro, ou jovem. Você é mais feliz porque tem relações significativas em sua vida, e isso não tem nada a ver com aparência, com idade, com riqueza". (Maria Eugênia Suconic)


Link para essa postagem


sexta-feira, 12 de junho de 2015

‘Denali': Photographer Ben Moon’s Touching Tribute to His Beloved Dog



Link para essa postagem


terça-feira, 26 de maio de 2015

Crédito


        Moralmente ou financeiramente, ter crédito nunca é a troco de nada.


Link para essa postagem


sexta-feira, 22 de maio de 2015

Dia do Abraço



Link para essa postagem


domingo, 10 de maio de 2015

Dia das Mães

        Conheci há poucos anos a tristeza de um dia das mães sem mãe. Quem acompanha esse blog sabe que perdi minha mãe em 2011. E, no dia em que ela se foi, só caiu a ficha do que realmente tinha acontecido quando a seguinte frase me invadiu a cabeça: "Nunca mais vou poder abraçar minha mãe." Muito da minha dor naquele dia, hoje e para o resto da vida pode ser expressa por essa frase porque um abraço é a síntese de tudo: do afeto, da proteção, do importar-se, do ter com quem contar, de poder cuidar e ser cuidada.
        Acho que daria minha vida por só mais um abraço, daqueles em que simplesmente não existe mais nada ao redor. E, se me fosse pedido só um conselho no dia de hoje, eu diria para as mães: abrace seu filho com a mesma emoção que sentiu quando ele veio ao mundo e você pôde, finalmente, segurá-lo pela primeira vez. Aos filhos, eu diria: abrace sua mãe com a emoção de quem volta de uma longa viagem e avista novamente seu porto seguro.
        Aos leitores, peço desculpas pela tristeza derramada. Juntando-me a vocês, recolho, então, a tristeza, e guardo meu abraço para as mulheres que, de uma forma ou de outra, também são como mães para mim. Meu abraço apertado também a todas as mães que dão a vida por seus filhos e aos filhos que, como eu, dão a vida por um abraço de mãe.


Tristeza nem é tanto passar o dia das mães sem mãe, é passar todo o resto do ano sem ela.


Link para essa postagem


Para minha mãe, onde ela estiver



Born in your tiny prison cell
A million times smaller than you are
One single drop, and you're risen up
Afraid of the dark

You cracked up through the pavement
In super, super slow emotion
Your back is gently breaking
You reach for the light

We can see everything
We can hear everything
We can see everything
When we get here, everything

We can see everything
We can hear everything

Weakness is not your weakness
You are what you grow into
You're not what you were

















Link para essa postagem